Quando meu corpo

Uniu-se ao teu

Descobri a magia de perder a identidade,

Não mais sabia o que era, o que fui,

Nem o que seria a partir daquele momento único e,

Sublime em que vivi

Toda ternura e beleza contida no gesto de amar.

Não,

Eu não sabia quem era,

Quem era aquela mulher

Que sem temor algum se entregava
às carícias tão almejadas.

Sei apenas

Da doce sensação que ficou,

Aquela que vivi,

De morrer por um instante e, de

Renascer em teus braços.


 



 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo