Silêncio...

Voz de minh’alma

Voz que acalma

Minha angústia sem fim.

Silêncio...

Dos ruídos que foram sonhos

De uma tempestade, enfim.

Silêncio...

Voz da mediocridade

Dos homens que não vi na mocidade

E que não passaram por mim.

Silêncio...

Voz de tudo

Voz de luto

Que se cala dentro de mim.

 



 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo