Ressuscito meus mortos dentro de mim

E a eles

A liberdade de caminhar em meu pensamento...

G?

Foi como o vento das tardes outonais

Suave

Dócil

Deixou na lembrança

O tom alaranjado

Do morrer da tarde...

A?

Trouxe em sua bagagem a aventura

A emoção

Foi sol

Calor

Chuva de verão

Fim de tarde, temporal

Deixou em minhas lembranças

Uma ternura sem igual...

C?

Ah, quanta paixão!

Quanta loucura!

Foi brasa saltando

Afogueando todo o meu ser

Com a mesma força que cresceu

Também o vi morrer...

P?

Não acredito!

Desfila ainda, em meu pensamento

Ele foi tornado

Maremoto

Furacão

Chegou destruindo as barreiras

Que bloqueavam meu coração.

Com ele colhi estrelas

Perdi-me em meio, ao infinito

E a paixão em mim surgiu

Mas como nada é eterno

Ele também partiu...

N?

Foi fogo lastrando em mata virgem

Lastrou sem pressa

Queimando aos poucos

Distorcendo a minha razão

Foi homem maduro

Seguro

E como criança

Deixou-me sem ação

E sem ação, recrio amores

Ressuscitando-os em minha solidão...

 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo

Google
 
Web www.simplesmente.poeta.nom.br