Perdoa

A mão calejada e cansada

Que não mais sabem acariciar

Perdoa

Os lábios secos e gastos

Que desaprenderam a te beijar.

Perdoa

O braço esquecido

Dos abraços comovidos

Que  esqueceram como afagar.

Perdoa

Os olhos cansados e sem brilhos

Que por vezes eram compreendidos

Sem que os lábios precisassem murmurar.

Perdoa

O corpo que foi teu abrigo

E agora o repugna como a um inimigo

No qual encontras sempre a porta fechada

Sem direitos a toques

Palmas ou palmadas.

Perdoa

Esse coração desencantado

Que hoje te deixa em prantos

Por descobrir não estar mais apaixonado.
 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo