Em meus olhos de tom negro

Oculto entre outros desejos

O mais sombrio de todos

Que alguém pode ocultar...

Já não consigo fitá-los

Diante ao espelho

Pois revivo o desespero

Entre as pálpebras a queimar...

Jorram lavas incandescentes

Meus desejos... indecentes

Na loucura de te amar...

Fecharei meus olhos negros

Não os deixarei me condenar

Eles dizem a todo instante

Do desejo inconstante

Que você é o amante

Ideal pra eu amar...

Eu reluto contra isso

Pois não podes ter compromisso

Não podes me pertencer

Saio então, em desatino

Vou seguir o meu destino

Bem distante de você...

Sepultarei o meu segredo

No fundo frio sombrio

Dos meus tristes olhos negros.
 


 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo