Hoje falarei de nós,

Do que fomos,

E arriscando um palpite,

Quem sabe seremos.

Hoje,

Relembro nosso córrego passando
ao lado da tão aconchegante casa

Cercada de paus e arames,
onde um galo rajado

Teima em cocorica em todo alvorecer.

Hoje quero falar,

Da mesa pronta para o jantar que
se encontra frio,

Do vinho derramado na toalha amarelada e, desgastada pelo tempo,

E do vaso de flores secas
a enfeitar nosso ninho.

Hoje quero falar,

Da ansiedade,
que inúmeras vezes levou-me à janela

Da camisola de seda inerte sobre o lençol,

De um tempo emoldurado dentro
de uma foto na estante,

Das velas que acendi,
para não te perderes no caminho.

Hoje quero dizer,

Do momento sublime e único,

Ao sentir pulsar, em meu peito,
a certeza do cinza em meu ventre.

Sonho inseminador,

Sonho projetado,

Sonho dissipado,

De um amor desgraçado.

Hoje, quero agradecer,

As fantasiosas noites apaixonantes

Os braços macios de amantes

Os beijos molhados, excitantes,

Despertando em mim o desejo de mulher

Hoje quero dizer,

Dos sonhos que sonhamos

Dos planos que arquitetamos

Das ruínas que fizemos

Dos sonhos de amor que
em pó transformamos.

Hoje quero falar de nós,

Homem e mulher

Caçadores de felicidade

Que sonhando foram à luta e
enfraquecidos não tivemos como lutar.

 Hoje, quero reafirmar,

A falta de coragem que não tivemos

O testemunho de amor que não demos

Reafirmando o que somos
e a certeza do que seremos.

Somos restos de coragem,
disfarce de fraquezas

Sonho de esperanças,

Pesadelos de incertezas.

 


 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo