Nádya Haua




 


 

Estava deitada em meu silêncio

E pude ouvir meu próprio choro.

Não era possível dormir

Aquilo não poderia estar acontecendo

E eu senti medo, muito medo.

Talvez eu pudesse compreender

Tudo o que ouvira pela manhã,

Mas não na noite daquela manhã.

Procurei socorro em meio aos lençóis

E chorava  mansamente

E senti por mim

Uma piedade antes não sentida.

Passei entrelaçados os meus braços

Em meu ombro

Como que quisesse proteger-me de algo.

E ali descansei...

Serena...

Como uma criança o choro logo cessou.

Minha respiração tornou-se calma e repousada

Fiquei ali,

Calada e pensativa

Deitada em meu silêncio

Olhando a noite

Até que o dia adentrou minha janela.

 



 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo