Dizes que sou o resto

De um amor que se acabou 

 Uma mulher mal amada

Que no tempo só passou.

Dizes que sou o resto

Desfaz-se  sempre de mim

Esqueces que foste tu

Que me deixastes assim.

Sugastes toda a beleza

Todo vigor de outrora

Agistes como morcego

Que suga o sangue

E vai-se embora.

Dizes que sou o resto

Não me importo, com certeza

Pois lá fora

Há quem veja

Mil belezas em galhas secas.

Dizes que sou o resto

Mas já fui tua sobremesa.


Direitos Autorais protegidos 

 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo

Google
 
Web www.simplesmente.poeta.nom.br