O que há atrás deste meu olhar?
Não há cercas
Nem quintais
Nem arvoredos
Não há algemas
Carceragem
Nem mais meu próprio medo...
O que há atrás deste meu olhar?
Não há sonhos florindo
Nem sol surgindo
Para a vida encantar...
Não há canção
Nem ilusão
Não há razão
Nem a doce brisa do mar...
O que há atrás deste meu olhar?
Não há terras distantes
Suspiros ofegantes
Nem saudades do amante
Que fez a carne afoguear...
Não há mais céu
Nem mais estrelas
Não há vida
Nenhuma certeza
Além deste meu questionar:
O que há?
O que há atrás deste meu olhar?


 

 


.
( 11/Jan/2.009 )

 

Dentre nós, efêmeros

pobres mortais

teríamos que saber muito mais,

com ciência e consciência,

de que além do cristalino

há a história do destino

que há muito nos foi traçado,

e cada qual tem seu legado

e também a resistência

da dor e da experiência,

do fracasso ou do sucesso,

das derrotas ou das vitórias,

uma vida de tristezas

ou uma vida de glórias,

de outras eras oriundas,

deixando marcas tão profundas

que nem mesmo nós saberemos

descrever com fidelidade,

tudo que até hoje já vivemos...

Segredos certamente existem,

e aos milênios eles resistem,

permanecem sempre guardados

sem chaves nem cadeados,

estando todos registrados,

dia a dia, um por um

no fundo d'alma de cada um...

Mas isto, amados meus,

Será desvendado por Deus!
 

 



E-mail do autor: lauro_kisie@linuxponta.com.br


 

Clique na figura
envie sua mensagem



 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo

Google
 
Web www.simplesmente.poeta.nom.br