Mergulho nas águas da liberdade

Retirando do corpo a castidade

Que fazia a mente sangrar...

Liberta estou do amor platônico

De uma paixão doentia

Da algema torturante

Que a ti me prendia...

Estou liberta de minha própria sentença

Estou livre!

Limpa!

Alforriada!

E sentindo a minha alma

Totalmente lavada...

 

 

Clique na figura
envie sua mensagem


 

Desde 25.05.2005,
Número de Visitas

Home

Direitos autorais registrados®

Voltar

Menu

Fale Comigo

Google
 
Web www.simplesmente.poeta.nom.br